Trend Briefing de maio de 2012:
(R)ETAIL (R)EVOLUTION
O e-varejo é o varejo, e é online.
RETAIL REVOLUTION

Exatamente como previsto por e-gurus há 15 anos, o e-commerce está mais em alta do que nunca. Tanto em mercados consolidados, onde os gastos do consumidor estão mudando online, ou em mercados em crescimento onde a urbanização rápida e a crescente penetração da Internet (em celulares) estão criando novos hábitos de compras, os consumidores estão "e-commercing".

Algumas estatísticas obrigatórias:

  • As vendas por e-commerce nos EUA irão crescer 62% até 2016, para USD 327 bilhões (Fonte: Forrester, fevereiro de 2012).
  • As vendas por e-commerce na Europa irão crescer 78% até 2016, para USD 230 bilhões (Fonte: Forrester, fevereiro de 2012).
  • As vendas por e-commerce no Brasil irão crescer 21,9% em 2012, para USD 18,7 bilhões (Fonte: eMarketer, janeiro de 2012).
  • As vendas por e-commerce na China foram CNY 780 bilhões (USD 124 bilhões) em 2011, um aumento de 66% desde 2010. O e-commerce deverá crescer de 3% do consumo total para 7%, até 2015 (Fonte: IDC, março de 2012).
  • O mercado de e-commerce da Índia deve crescer para USD 70 bilhões até 2020, a partir de apenas USD 600 milhões em 2011 (Fonte: Technopak Advisors, fevereiro de 2012).
  • As vendas por e-commerce na Indonésia deverão crescer de USD 120 milhões em 2010 para USD 650 milhões em 2015 (Fonte: Frost & Sullivan, fevereiro de 2012).

Agora, as experiências atuais dos consumidores on-line são, naturalmente, diferentes fundamentalmente daquelas durante o início do boom das empresas virtuais: o e-commerce não é mais apenas uma questão de escolha, preço, conveniência, opiniões e avaliações, mas também sobre tudo o que os consumidores procuram em qualquer compra: status, o produto certo e uma experiência convincente.

Assim, é o tempo para aprender e lucrar com as mais recentes inovações que estão transformando o e-commerce e, finalmente, remodelando o comportamento de compras. Tanto online quanto offline.

Quatro temas surgem:

#1: E IS FOR EVERYWHERE

Para os consumidores que estão constantemente conectados, a compra online é simplesmente uma outra opção, ao invés de um meio totalmente diferente e distinto.

Sub-tendências existentes como SCREEN CULTURE, ALL THE WEB’S A (SHOP) WINDOW e ON TO OFF / OFF TO ON.

#2: (M)ETAIL

Ficar "online" agora significa mergulhar em (e se adicionando com entusiasmo) uma rica e personalizada, rede social.

Sub-tendências existentes como CASHING IN ON CURATION, SELL-YOUR-OWN STORES, RETAIL INVESTMENT e AT YOUR SERVICE.

#3: E(ASY)-COMMERCE

Todas as barreiras que inicialmente atrasavam o e-commerce (por exemplo, ajuste correto, pagamentos seguros e entregas convenientes) foram significativamente reduzidas, se não totalmente removidas.

Sub-tendências existentes como PERFECT FIT, DELIVERY DELIGHT, LIFE: SUBSCRIBED e PERFECT PAYMENTS.

#4: OH WHAT A WONDERFUL WEB

As expectativas dos consumidores em geral são agora definidas on-line. Escolha infinita, gratificação instantânea, total transparência, colaboração contínua, a lista continua...

Sub-tendências existentes como NICHE RICHE, CROWD CLOUT, TOTAL TRANSPARENCY, ETAIL-TAINMENT e EXCLUSIVE EXPERIENCES.


IMPLICAÇÕES

Mesmo neste enorme Trend Briefing, com seus quatro grandes temas e várias sub-tendências, nós apenas arranhamos a superfície do (R)ETAIL (R)EVOLUTION: o comércio de conteúdo, celebridades formadoras de opinião, botôes de “want” e “own” do Facebook, compra a partir de newsfeed, pagamento com tweets, dinheiro na entrega, pop-ups on-line e muito mais ainda estão por vir.

O nosso maior desafio? Tentar se manter apenas no "e-commerce". Porque, como mostramos em nosso Trend Briefing sobre RETAIL RENAISSANCE (RENASCENÇA DO VAREJO) e voltando a falar dele novamente em E IS FOR EVERYWHERE (E É PARA TODA PARTE), todas as compras ocorrem cada vez mais dentro de um ecossistema de e-commerce que inclui não só online e offline, mas também celulares, tablets e TVs.

Assim, (R)ETAIL (R)EVOLUTION: todo o comércio está sendo afetado pelo e-commerce e, em troca, o e-commerce será afetado pelas mesmas tendências gerais que definem o comportamento do consumidor em todas as mídias, online e no varejo tradicional.

Então continue assistindo, continue aprendendo e, o mais importante, mantenha-se (ou comece!) fazendo!

Enquanto isso, estaremos trabalhando duro em nosso próximo Trend Briefing! Certifique-se de que você está inscritotrendwatching.com logo

 

Implicações

Informe seus amigos e colegas sobre (R)ETAIL (R)EVOLUTION

Passe adiante »