Você está lendo uma das 12 TENDÊNCIAS PARA 2012. Leia todas as 12 tendências aqui »


1. RED CARPET

“TAPETE VERMELHO”
Em 2012, empresas do mundo todo vão inundar visitantes e clientes chineses com serviços e regalias feitos sob medida para, de maneira geral, enchê-los de atenção e respeito.

A China é de fato o novo imperador, e empresas antiquadas, nações com problemas e até instituições monetárias falidas contam com os chineses para salvá-las. Não é para menos que tapetes vermelhos são estendidos em todos os lugares onde políticos e CEOs chineses colocam os pés. Na arena global de consumo de 2012, vemos uma cena parecida: lojas de departamentos, empresas aéreas, hotéis, parques temáticos e museus, se não cidades inteiras pelo mundo farão tudo o que podem para inundar os clientes chineses com serviços e regalias feitos sob medida para, de maneira geral, enchê-los de atenção e respeito.

 

Algumas estatísticas:

  • Residentes da China fizeram mais de 30 milhões de viagens para países estrangeiros apenas na primeira metade de 2011, 20% a mais em relação a 2010. Como base de comparação, cidadãos norte-americanos fizeram apenas 37 milhões de viagens aéreas para outros países durante todo o ano de 2010 (Fonte: Ministério de Segurança Pública da China, julho de 2011; Escritório do segmento de Viagens e Turismo, setembro de 2011).
  • E isto é apenas no começo: a World Tourism Organization (Organização Mundial do Turismo) estima que o número de turistas internacionais que saem da China vai chegar a 100 milhões em 2020.

Pode contar que indianos e brasileiros estarão na posição de receptores da tendência do RED CARPET (TAPETE VERMELHO) (OU TAPETE COR DE LARANJA OU VERDE). Alguns exemplos:


  • Em julho de 2011, a rede Hilton Hotels Worldwide criou um serviço que tinha como alvo os viajantes chineses. Chamado "Hilton Huanying" (“bem-vindo” em mandarim), o programa está disponível em 30 hotéis Hilton espalhados pelo mundo, e oferece assistência personalizada a hóspedes chineses, incluindo check-in em sua própria língua e serviços no quarto como chá e canais de TV chineses, além de pantufas e uma carta de boas vindas em mandarim. Há ainda bufê de café da manhã disponível, com congee (tipo de mingau de arroz), bolinhos dim sum e macarrão frito no cardápio.


  • Em Londres, a loja de departamentos Harrods conta com 70 funcionários que falam mandarim. Também instalou 75 caixas específicos para o sistema China UnionPay. Em movimento semelhante, a loja de departamentos parisiense Printemps tem uma entrada especial para grupos de turistas chineses e mapas da loja em chinês. 
  • A Austrália investiu US$ 30 milhões ao longo de três anos para anunciar o país como destino de luxo para turistas chineses ricos. O departamento de turismo Australiano levou sua campanha de marketing a 13 cidades da China continental até agora, e espera expandir para mais de 30 cidades até 2020.