Fevereiro/Março de 2012 | Consumidores usuários de smartphones estão abraçando um novo mundo onde podem descobrir mais sobre (senão comprar) quase qualquer coisa que encontrem pelo planeta, a qualquer hora. Aprenda com as marcas que já estão lucrando com esta tendência e vá fundo!

POINT-KNOW-BUY Por que consumidores curiosos e amantes da espontaneidade se sentirão realizados com a informação visual instantânea.

Nós elegemos POINT & KNOW (APONTE & SAIBA) como uma de nossas 12 Tendências de Consumo Cruciais para 2012, mas agora apresentamos um Trend Briefing completo que mostra como POINT-KNOW-BUY (APONTE-SAIBA-COMPRE) reformulará as expectativas dos consumidores com relação à informação, além de seu comportamento de busca e os seus padrões de compra.

Não é nenhuma novidade que os consumidores são obcecados por informação. Informação e conhecimento dão poder, controle e segurança aos consumidores (ou pelo menos a sensação disso). Assim, informação e conhecimento sempre serão valorizados por aqueles que buscam o que há de melhor. Igualmente importante, o processo da descoberta de informação adiciona o fator da diversão à busca.

Agora, depois de uma década de quase obsessão pelo Google, o acesso instantâneo à informação através de uma busca precisa (por texto) é algo esperado, uma parte integral do estilo de vida moderno. A próxima fronteira é gratificação através de informação visual, onde consumidores possam acessar, de forma mais natural e em qualquer lugar, informações sobre objetos que encontrem pela vida real, simplesmente ao apontar seus smartphones* para qualquer coisa que acham interessante.

E assim como "estar conectado" não mais depende de um computador (de mesa!), o processo de descoberta também não dependerá apenas de uma busca por texto. As pessoas poderão imediatamente descobrir informações sobre (e eventualmente comprar) qualquer coisa que vêem ou ouvem, mesmo que não saibam o que é ou não consigam descrevê-la em palavras.

* Assim como em tantas outras tendências digitais, o smartphone (sempre-no-bolso-senão-na-mão) e a junção de um ambiente tecnológico "visual" (oferecendo tudo desde códigos QR a métodos avançados de busca visual) são vetores importantes, que alimentarão a revolução POINT-KNOW-BUY.

Uma definição está em ordem:

POINT-KNOW-BUY | Com métodos de busca e informação à base de texto largamente disponíveis à maioria das pessoas, em tempo integral, inicia-se a corrida para disponibilizar métodos de busca e informações visuais instantâneos a todos também. Logo, qualquer objeto (senão pessoa) no mundo real poderá ser "conhecido" por consumidores equipados com smartphones em qualquer lugar. Estes aparelhos poderão ser apontados a qualquer coisa para obter/encontrar informações pertinentes, sempre que seus usuários quiserem. E claro, algum tipo de comércio baseado nisso deverá vir em seguida ;-)


UM PORÉM E O FUTURO

POINT-KNOW-BUY ainda é uma tendência de consumo emergente. Obviamente, existe um desejo para informação sempre presente e fácil de acessar, mas é importante lembrar que muitas das tecnologias ao lado ainda estão em desenvolvimento, e ainda têm muito chão pela frente antes de se tornarem ubíquas, perfeitamente integradas e (mais importante) confiáveis.

De fato, o INFOLUST dos consumidores só será verdadeiramente satisfeito quando:

  • For possível usar POINT-KNOW-BUY para quase qualquer objeto visual, e não apenas alguns designados ou aqueles equipados com códigos.
  • O software for perfeitamente integrado em aparelhos, sem precisar de aplicativos especiais.
  • O reconhecimento de imagens / áudio conseguir funcionar nas condições reais do mundo real, ou seja, em condições de baixa luz, com barulho ambiente e a ângulos difíceis.

Porém, estamos progredindo; veja os exemplos a seguir.


EXEMPLOS

Vamos começar com a parte do "conhecimento" de POINT-KNOW-BUY:

  • leafsnap é um aplicativo gratuito que usa a tecnologia de reconhecimento visual para que usuários possam identificar diferentes espécies de árvores ao tirar uma foto de suas folhas.

  • Word Lens é um aplicativo que traduz texto impresso (tais como cardápios ou avisos) de francês ou espanhol para inglês (e vice-versa), através da câmera no iPhone.

  • O Skymap, da Google, continua sendo um belo exemplo de POINT & KNOW. Usuários podem apontar seus telefones ao céu para descobrir detalhes sobre os corpos celestes ou constelações que veem. Star Chart e Star Walk são aplicativos semelhantes para o iPhone.

E não podemos esquecer do aspecto áudio do POINT & KNOW:

  • O pioneiro Shazam, com o que usuários podem identificar qualquer faixa de música que ouvem, onde quer que estejam, anunciou em setembro de 2011 que seus usuários estavam marcando mais de um bilhão de músicas por ano, e que o serviço oferecerá marcação gratuita sem limites.
  • Com WeBIRD e um smartphone, usuários podem gravar o canto de um pássaro, mandá-lo para um servidor e (depois de alguns minutos) receber uma identificação da espécie de pássaro. Espera-se que WeBIRD seja disponível para o público antes da migração da primavera de 2012.

De fato, tudo está se tornando KNOWN (CONHECIDO), até mesmo as pessoas:

  • Criada por Carnegie Mellon University, PittPatt é uma ferramenta de reconhecimento facial. PittPatt foi adquirida por Google, e é a tecnologia por trás do Google+ Find My Face. Lançado em dezembro de 2011, a ferramenta automaticamente identifica pessoas nas fotos dos usuários. Assustador? Talvez. Interessante? Com certeza.



As tecnologias POINT & KNOW podem ser facilmente transformadas em ferramentas POINT & KNOW-HOW TO (APONTAR & SABER COMO):

  • Aurasma, um aplicativo desenvolvido pela Autonomy (recentemente comprada por HP por mais de US$ 7 bilhões), oferece realidade aumentada baseada em objetos. Recentemente, a empresa lançou um vídeo para mostrar aos usuários como poderiam ver instruções sobre como montar uma TV de parede, projetadas na própria parede em tempo real. Enquanto isso, Metaio apresentou um guia de realidade aumentada para trocar cartuchos de impressora (perfeito para consumidores confusos, que, ao encarar a parte de dentro da impressora, não conseguem encontrar o raios da "Porta B" ;-).


  • E tem ainda um lance inovador de POINT & KNOW para os cegos: VizWiz é um aplicativo que ajuda os usuários cegos a "ver", ao explicar-lhes quais objetos eles acabaram de fotografar.

Nunca mais perca um Trend Briefing

E quando a tecnologia falha, ainda há CROWDSOURCED POINT & KNOW:

  • No site francês WhereToGet.It, usuários podem postar fotos da rua, revistas, blogs ou filmes e perguntar à comunidade onde os objetos em questão podem ser adquiridos.
  • A revista belga Flair lançou seu aplicativo para Facebook, chamado fashiontag, em março de 2011. Com este aplicativo, usuários podem marcar fotos das roupas dos amigos e perguntar onde elas podem ser compradas.

Mas para um verdadeiro insight sobre o que está por vir com relação a POINT-KNOW-BUY, vale a pena dar uma olhada no que os grandes atuantes no segmento de tecnologia estão desenvolvendo com relação a sistemas mais "inteligentes" de reconhecimento de imagem e busca visual.

  • Com Google Goggles, usuários podem buscar informações na internet sobre os objetos que fotografam. A atualização mais recente oferece um modo de filmagem contínua, onde usuários nem precisam mais fotografar o objeto. Ao invés disso, o aplicativo escaneia, de forma contínua, tudo no visor e automaticamente mostra resultados relevantes ao reconhecer diferentes objetos.
  • Em setembro de 2011, Layar anunciou uma parceira com Telefonica para fornecer tecnologia de busca visual para o multinacional de telecomunicações.

Ninguém ficará surpreso quando os grandes varejistas começam a adicionar o elemento BUY (COMPRAR) às buscas visuais nos próximos meses.

  • O aplicativo Amazon Flow, lançado em novembro de 2011, também oferece tecnologia de escaneamento continuo. Quando usuários apontam seus aparelhos para livros, games, DVDs ou CDs, informação adicional aparece imediatamente, inclusive faixas de áudio e vídeo, opiniões de consumidores e informação sobre como comprar.
  • Em novembro de 2011, o presidente da eBay, John Donahoe anunciou que reconhecimento de imagens será uma característica chave em futuros aplicativos móveis da empresa. Usuários poderão tirar fotos de objetos no mundo real e encontrar itens semelhantes para venda no site da eBay.

  • IQ Engines é uma plataforma de reconhecimento de imagens desenvolvida por UC Berkeley e UC Davis. Em conjunto com oMoby, um motor de busca visual (parecido com Google Goggles), o software também comanda o modo de busca dos aplicativos móveis da Best Buy e NextTag para compras e comparação de preços.

  • Os usuários do aplicativo Originals para iPhone da Adidas, lançado em agosto de 2011, podem tirar uma foto de qualquer tênis da Adidas e fazer uma busca pela linha de produtos da marca para achar informação sobre um determinado produto e estoques do mesmo em varejistas locais.

  • Os amantes do vinho podem usar o aplicativo Snooth Wine Pro para tirar fotos de rótulos de vinho para e buscas usando a base de dados do site. Usuários podem acessar opiniões de outros consumidores, achar produtos nos estoques de varejistas locais, verificar preços e comprar pela internet.

M-COMMERCE

Nem precisamos dizer que POINT-KNOW-BUY é somente uma parte de uma tendência muito maior em comércio móvel ("m-commerce").

Os mais inteligentes profissionais de negócios e marketing entenderão imediatamente que POINT-KNOW-BUY significa oportunidades fantásticas para verdadeira gratificação em informação instantânea, onde consumidores podem aprender e comprar no momento da descoberta. POINT-KNOW-BUY também pode tornar o processo da compra mais conveniente e/ou transparente; desde opiniões de outros consumidores e comparações de preço, a processos de compra mais ágeis (vitrines para compras via QR, por exemplo?). Mas esse é um assunto para outro Trend Briefing ;-)

OPORTUNIDADES

Enquanto talvez somente as marcas e plataformas maiores (ex. Wikipedia, Amazon, eBay) tenham a gama de conteúdo ou produtos para atender qualquer foto ou imagem escaneada, haverá um número sem fim de oportunidades para qualquer marca satisfazer a obsessão dos consumidores por informação, por descoberta, por NOWISM, por gratificação instantânea.

Pense prático: como você pode adicionar profundidade de conhecimento e comunicar histórias, origens, comparações de preços, opiniões de consumidores, e-commerce e assim por diante? Pense em qualquer coisa que ajude os consumidores de POINT-KNOW-BUY a terem mais informações, poderem descobrir e agir nas coisas que encontrem pelo mundo real.

Boa sorte!